] Jornal Correio Popular
Quarta-feira, 14 / 04 / 2021
JORNAL CORREIO POPULAR DE RONDôNIA - Fone: 69-3421-6853 - E-mail: redacao@correiopopular.com.br


ARQUIVO POPULAR
CP 30 anos resgata a vinda da energia elétrica

Data da notícia: 2020-07-17 18:05:04
Foto: Divulgação
Protesto contra os constantes racionamentos de energia realizado em 10 de maio de 1984 na ponte do rio Machado

Até os anos de 1950, a geração de energia elétrica era obtida com o funcionamento de pequenos motores movidos a gasolina ou querosene, pertencentes a uma pequena parcela de comerciantes e seringalistas. Essa realidade se manteve até 1966, quando o governo do Território Federal de Rondônia, por meio da empresa de energia Salft, enviou o primeiro gerador de energia para o Distrito (Vila) de Rondônia. Nesta época, o fornecimento de energia às residências era limitado a cerca de 8 horas por dia.

Em 1972, foi instalada a Usina Termelétrica de Ji-Paraná. No decorrer dos anos 70 e 80, o número de motores da usina, por diversas vezes, teve que ser ampliado para fornecer energia às populações de Ji-Paraná, Presidente Médici e Ouro Preto do Oeste, que cresciam em ritmo acelerado.
Não tardou para surgirem falhas no sistema de geração e despontarem protestos contra os incontáveis blecautes e os racionamentos de energia. No início da década de 1980, a usina de Ji-Paraná esteve próxima de ter os motores e as instalações depredados por moradores insatisfeitos com os longos intervalos no fornecimento de energia, que se prolongavam por até 18 horas.

A manifestação de maior intensidade ocorreu em 10 de maio de 1984. Uma multidão formada por: estudantes, comerciantes, trabalhadores e religiosos tomou a ponte do rio Machado para protestar contra a precariedade no sistema de geração.

Durante o protesto, os manifestantes atearam fogo em pneus. A situação só foi contornada cerca de 20 horas depois, com a presença do governador Jorge Teixeira de Oliveira, o Teixeirão. O chefe de governo prometeu aos manifestantes que os motores quebrados seriam recuperados, colocando um fim ao protesto. Mas o problema se manteve.

Manifestações contra os racionamentos de energia se multiplicaram deste então, embora com menor intensidade. No começo dos anos 90, o CP noticiou o surgimento do movimento “Linhão Já”, cujo objetivo era conscientizar as autoridades estaduais e federais para construção de uma linha de transmissão que interligasse o município ao sistema de geração da Usina Hidroelétrica de Samuel, que vinha instalando seguidas turbinas para aumentar a capacidade de geração.

Prefeitos do interior, entre eles Jair Ramires de Ji-Paraná, enviaram para Brasília, caravanas com manifestantes para sensibilizar o presidente do problema. Deu certo! O fato ganhou percussão nacional ao ser noticiado pela TV. Com a decisão favorável do presidente Itamar Franco, foi iniciada a tão sonhada implantação da rede de distribuição da energia gerada por Samuel aos municípios da BR 364.

A construção do “Linhão” que ligou Ji-Paraná ao sistema de Samuel teve início em agosto de 1993. No dia 13 de agosto de 1994, foi concluído o primeiro trecho da linha de transmissão até a cidade de Ariquemes e em 29 de setembro de 1994, foi inaugurado o trecho Ariquemes/Ji-Paraná, que foi comemorado com uma solenidade de condecoração de inúmeras personalidades do município de Ji-Paraná pelo governador Oswaldo Piana.


Fonte: Jairo Ardull


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.