CP - Fhemeron pede mais sangue na campanha Junho Vermelho
Correio Popular de Rondônia
* *
DIA MUNDIAL
Fhemeron pede mais sangue na campanha Junho Vermelho

Data da notícia: 2020-06-10 18:23:15
Foto: Assessoria/Divulgação
Reforço do estoque também é motivado pela Covid-19
Apesar da crise mundial de saúde, a Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia (Fhemeron) não parou nenhum dia.
Nada melhor do que uma data mundial para despertar novamente a consciência da população. Assim, a Fundação irá lembrar o Dia Mundial do Doador de Sangue, domingo (14), mobilizando doadores na campanha Junho Vermelho, que acontece em todo o país.

Dados do Ministério da Saúde revelam que atualmente, são feitas 3,4 milhões de doações de sangue ao ano no Brasil, o que indica a necessidade de aumento. O período da pandemia mundial do novo coronavírus causou reflexos negativos nos hemocentros de todo o Brasil. Não foi diferente com o banco de sangue rondoniense, que, além de socorrer acidentados, passou a ser fator decisivo no atendimento a transfusões de sangue em diversos hospitais, notadamente o Hospital do Amor da Amazônia, que trata pacientes com diversos tipos de câncer.

“A data foi criada para conscientizar a população sobre a importância da doação de sangue, principalmente, durante grandes eventos, feriados ou festividades, nos quais a demanda por transfusão sanguínea pode aumentar em decorrência da elevação no número de acidentes”, explica a coordenadora de captação, Maria Luíza Pereira
“Será uma comemoração contida, mas celebrará a vida”, afirmou.

Conforme a coordenadora, bolsas de sangue ajudarão pacientes doentes, internados, em tratamento de anemia ou ainda quem sofreu algum acidente. “Uma única doação salva quatro vidas”, assinala Maria Luíza.

Ela atribui o período difícil à pandemia da Covid-19: “Muitos não voltaram mais aqui, e por isso continuamos com estoques em baixa: O+ tem muito pouco”.

Mesmo com as restrições, o apelo para a dedicação de todos ao Junho Vermelho anima de certa forma a Fundação. A campanha tem condições de aumentar os estoques nos hemocentros, acredita Maria Luíza.


Fonte: Assessoria


Compartilhe com seus amigos: