FALE CONOSCO     |     INTRANET     |      QUEM SOMOS
 Conheça a revista PONTO M  
SIGA O CP       ANUNCIE AQUI

Boa madrugada! Sábado, 20 / 01 / 2018
JARU
Mudas são produzidas para recompor margens do rio Jaru

Data da notícia: 2017-08-15 11:30:25
Foto: Assessoria/Divulgação
A Sedam iniciou a implantação de cinco viveiros para produção das mudas no município
(Da Redação) Com R$ 900 mil do Fundo Amazônia, a Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Sedam) inicia a implantação de cinco viveiros para produção de mudas de espécies florestais para recompor áreas degradadas de nascentes de rios e matas ciliares nos municípios de Jaru, Espigão do Oeste, Pimenta Bueno, Ariquemes e Porto Velho.

Financiado com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social e Econômico (BNDES), por meio do Fundo Amazônia, nesta primeira fase o projeto tem o objetivo central de recuperar áreas degradadas de nascentes de rios e igarapés e matas ciliares identificadas durante a análise das informações do Cadastro Ambiental Rural (CAR) das propriedades dessas regiões, segundo informou o secretário adjunto da Sedam, Francisco Sales, que sublinhou a importância do projeto em recuperar e proteger as nascentes e os cursos d’água, que são bens da humanidade.

Segundo Marco Antônio Garcia, coordenador do Programa de Desenvolvimento Socioeconômico e Ambiental Integrado (PDSEAI) da Sedam, os procedimentos para licitação dos materiais e equipamentos para implantação dos viveiros de Espigão do Oeste, Jaru e Pimenta Bueno já estão bem adiantados e tão logo sejam concluídos, serão contratados os serviços e adquiridos os materiais necessários para execução desses primeiros três viveiros que vão garantir a recuperação e revitalização das nascentes dos rios dessas regiões.

Dessa forma, em Espigão do Oeste o viveiro vai produzir cerca de 80 mil mudas de espécies florestais para recompor todo o passivo ambiental identificado na bacia do Rio Palmeiras.

Para atender às necessidades da bacia do rio Jaru – sub-bacia, rio Mororó e o rio São Domingos, já em Nova União -, uma quantidade semelhante de mudas, o que se repete no mesmo nível para recompor as áreas degradadas de toda a bacia do Rio Pimenta Bueno, cujo trabalho ficará a cargo do Instituto Abaitará, escola técnica do governo estadual.

A implantação de viveiros para produção de essências florestais, se insere no Projeto Recuperar da Sedam, visando diretamente a recuperação e proteção dos mananciais do Estado, atuando prioritariamente em regiões com maiores danos de seus recursos hídricos, devendo chegar brevemente às bacias dos rios Jamari (grande região de Ariquemes) e Madeira, em Porto Velho.

Com esse objetivo, o Projeto Recuperar de produção de mudas se desenvolve com parcerias com os governos municipais, por meio de suas secretarias de meio ambiente, instituições de ensino e organizações não governamentais, com a finalidade de produzir os quantitativos necessários nas cidades polo e distribuir gratuitamente essas mudas para o reflorestamento de áreas degradadas, com prioridade àquelas com maior passivo ambiental, o que, por fim, atende a política do estado de Rondônia de desenvolvimento sustentável com uso racional dos recursos naturais, neste caso, os recursos hídricos.


Fonte: Assessoria


Compartilhe com seus amigos:





www.correiopopular.com.br
Copyright - EMPRESA JORNALÃ￾STICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.