FALE CONOSCO     |     INTRANET     |      QUEM SOMOS
 Conheça a revista PONTO M  
SIGA O CP       ANUNCIE AQUI

Bom dia! Sábado, 20 / 01 / 2018
COMBUST?VEIS
Petrobras reduz pre?o da gasolina em 5,4% e do diesel em 3,5% nas refinarias

Data da notícia: 2017-05-26 09:22:08
Foto: Arquivo
A Petrobras reduziu em 5,4% o pre?o m?dio da gasolina nas refinarias e em 3,5%, o do diesel. Segundo a companhia, a decis?o ? resultado da avalia??o feita pelo Grupo Executivo de Mercado e Pre?os (GEMP), acompanhando a pol?tica de pre?os anunciada em outubro do ano passado.

A estatal destacou que, como a legisla??o brasileira garante liberdade de pre?os no mercado de combust?veis e derivados, as revis?es feitas para as refinarias podem, ou n?o, se refletir no pre?o final ao consumidor. ?Isso depende de repasses feitos por outros integrantes da cadeia de combust?veis, especialmente distribuidoras e postos revendedores.?

Pelos c?lculos da Petrobras, caso o ajuste seja repassado integralmente e n?o haja altera??es nas demais parcelas que comp?em o pre?o ao consumidor final, o custo do diesel para o consumidor final pode cair 2,2%, ou cerca de R$ 0,07 por litro, em m?dia; e o da gasolina, 2,4%, ou R$ 0,09 por litro, em m?dia.

Influ?ncias

Conforme a empresa, o aumento significativo nas importa??es no ?ltimo m?s, contribuiu, predominantemente, para a redu??o, porque obrigou ajustes de competitividade da Petrobras no mercado interno. A empresa acrescentou que a pol?tica seguida tem como princ?pio a sua participa??o de mercado, que ? tamb?m um dos componentes de an?lise considerado pelo GEMP.

A Petrobras informou que a importa??o de gasolina por terceiros para o mercado interno passou de 240 mil metros c?bicos (m3), em fevereiro, para 419 mil, em abril, e a previs?o ? que se mantenha em torno deste n?vel em maio. J? com rela??o ao diesel, a importa??o subiu de 564 mil m3, em fevereiro, para 811 mil, em abril. A expectativa ? superar 1 milh?o de metros c?bicos em maio. ?Com isso, as refinarias da Petrobras podem chegar a um fator de utiliza??o abaixo do ?ltimo dado divulgado pela companhia em seus resultados trimestrais, que foi de 77%?, acrescentou a estatal.

O GEMP avaliou ainda os fatores relacionados ao pre?o dos derivados no mercado internacional e a oscila??o da moeda nacional. A conclus?o foi que os novos pre?os continuam com uma margem positiva em rela??o ? paridade internacional. Assim, de acordo com a companhia, permanece o alinhamento ? pol?tica anunciada e aos objetivos do plano de neg?cios 2017/2021.

Outra avalia??o feita foi com rela??o ? pol?tica de pre?os com corre??es, pelo menos, mensais. Conforme o comit? executivo, embora seja um avan?o significativo em rela??o ao sistema anterior, essa pol?tica n?o tem refletido ?tempestivamente as volatilidades de pre?os internacionais de derivados e c?mbio entre as datas dos reajustes, fato agravado pelo acr?scimo recente na volatilidade da taxa de c?mbio?. Segundo a Petrobras, essa constata??o tem sido, crescentemente, parte das discuss?es do GEMP e pode fundamentar ajustes de pre?os mais frequentes.


Fonte: Cristina Indio do Brasil - Ag?ncia Brasil


Compartilhe com seus amigos:





www.correiopopular.com.br
Copyright - EMPRESA JORNALÃ￾STICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.