] Jornal Correio Popular
Ji-Paraná(RO), 07/12/2021 - 14:08
JORNAL CORREIO POPULAR DE RONDôNIA - Fone: 69-3421-6853 - E-mail: redacao@correiopopular.com.br


MACHADINHO
Emissão de carbono é vigiada na Resex Rio Preto Jacundá

Data da notícia: 2021-11-23 18:53:30
Foto: Miro Costa - Secom
Finalidade da ação é identificar o material carbono alocado nos parques ambientais, e criar propostas para remoções

Na proposta de aumentar os projetos sustentáveis, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) acompanhou a equipe de pesquisadores do Centro de Estudos da Cultura e do Meio Ambiente da Amazônia (Rioterra) para realizar estudos sobre o carbono nas áreas de restauração localizadas no interior da Resex Rio Preto Jacundá, em Machadinho d’Oeste. A finalidade da ação é identificar o material carbono alocado nos parques ambientais, e criar propostas para remoções de gases de efeito estufa.

O Estado de Rondônia possui mais de 40 Unidades de Conservação (UCs), e uma delas é a Resex Rio Preto Jacundá, onde tem o primeiro projeto de carbono florestal iniciado em 2012. O Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal (Redd+) mais conservação, manejo florestal sustentável e manutenção de estoques florestais) desta resex possui um projeto precursor no país e mostra, de forma efetiva, que manter a floresta em pé é uma alternativa rentável diante do crescente desmatamento na Amazônia.

A atividade foi desenvolvida a partir de coleta de amostras de árvores (troncos, galhos, folhas e raízes) para análises laboratoriais e identificação do teor de carbono no local.

O professor e pesquisador da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Carlos Roberto Sanquetta, explica que o levantamento vai identificar o carbono que foi estocado e retirado da atmosfera, ajudando a diminuir a quantidade de CO2 nas Unidades de Conservação “As árvores têm o papel de limpar a atmosfera, e este carbono, fica contido neste tecido e órgãos da planta. Então todo este trabalho visa tirar amostra, pesar e levar para o laboratório para determinar o teor e conteúdo do carbono e qual foi a quantidade retirada da atmosfera, limpando assim o ar, para nós podermos ter um ar mais puro”.

Para determinação dos teores de carbono foram retiradas amostras das plantas, solo e biomassa de cada material.

As amostras foram pesadas e, posteriormente, levadas à análise. Os resultados vão identificar o potencial das plantações de restauração florestal e a diminuição de gases de efeito estufa.


Fonte: Secom


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.