FALE CONOSCO     |     INTRANET     |      QUEM SOMOS
 Assine a revista PONTO M  
SIGA O CP       ANUNCIE AQUI

Boa noite! Domingo, 17 / 12 / 2017
SAÚDE PÚBLICA
Sesau traça estratégia para acabar com fila de cirurgias de catarata

Data da notícia: 2017-09-27 09:46:54
Foto: Antônia Lima
Secretário Williames Pimentel com o governador de Mato Grosso Pedro Taques (d) na cidade de Juína
Uma comitiva formada por técnicos, comandada pelo secretário estadual de Saúde, Williames Pimentel, esteve na cidade de Juína, no estado do Mato Grosso para acompanhar parte da Caravana da Transformação – programa do governo que tenta zerar a fila de espera por cirurgias de catarata.
A visita tem como objetivo checar o modelo implantado pelo governo e viabilizar, a curto prazo, programa parecido em Rondônia.
A informação é do secretário Williames Pimentel que anunciou a vinda de técnicos ligados ao programa do estado vizinho à Rondônia. O secretário-adjunto, Luiz Eduardo Maiorquin, também integrou a comitiva da Sesau.
Na pauta, a viabilização do programa em Rondônia. Eles devem fazer uma análise técnica das unidades de saúde, bem como as peculiaridades de cada região. No fim da visita, um relatório técnico será apresentado ao governo estadual mostrando dados que possam viabilizar a “importação” do programa.
Dentro do programa realizado pelo governo de Mato Grosso, o estado contratou uma empresa que leva quatro caminhões com equipamentos para o local de atendimentos.
Deste total, um é destinado para as cirurgias e outro apenas para acompanhamento ambulatorial. Cerca de 80 profissionais realizam 800 consultas por dia e as unidades contam com uma capacidade de realizar até 300 cirurgias diárias.
Para os pacientes que moram em municípios mais distantes, ou que moram em regiões com estradas de terra, a operação oferece alojamento especial, com acompanhando médico para as 24 horas iniciais após a cirurgia, período considerado mais delicado do procedimento.
Ainda segundo o programa, os pacientes passam pela consulta e caso seja diagnosticada a necessidade de cirurgia, o procedimento deverá ser realizado em até 48 horas. Eles serão avaliados 24 horas depois da cirurgia, sete dias depois serão reavaliados e após um mês farão a consulta final para assegurar que o procedimento tenha sido executado perfeitamente.


Fonte: Secom


Compartilhe com seus amigos:





www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.